Augusto Esperança (1928 – 2018)

Pastor Augusto Esperança a pregar na Igreja Evangélica de Beja
(fotografia partilhada no Facebook por Rui António Robalo Simão)

 

Nasceu a 8/2/1928 em Pias, concelho de Serpa, mas cedo vem viver para o Carrascal, Sintra, onde conhece o Evangelho e se converte a Cristo numa igreja protestante. Depois de terminar o curso dos Liceus entra para o Seminário Evangélico de Teologia (Presbiteriano), em Carcavelos, onde estuda teologia, estudos que vem a completar com a licenciatura em Estrasburgo, França (Novembro de 1952 a Agosto de 1953). Mais tarde, já pastor da Igreja Presbiteriana de Lisboa, Esperança faz uma pós graduação em Teologia, em Boston, EUA (1965-66).

Antes de completar os seus estudos teológicos, porém, já Augusto Esperança punha a sua vocação ao serviço da Igreja. Augusto Esperança serve de 9/12/1950 até 30/4/1951 na Igreja do Mirante, Porto, no quadro duma solicitação feita pela Igreja Metodista Portuguesa à Junta Presbiteriana de Cooperação, e depois, ainda como evangelista, na Igreja da Figueira da Foz (30/4/1951 a 7/10/1951) e na Igreja Presbiteriana do Salvador, no Montijo (7/10/1951 a 30/9/1952). Ordenado pastor em 29/10/1952, durante o 1.º Sínodo da Igreja Evangélica Presbiteriana de Portugal (IEPP), realizado na Igreja Evangélica Lisbonense, Augusto Esperança vai, depois de completar os estudos em França, servir na Igreja Evangélica Ajudense, em Lisboa (Agosto de 1953 a 15/10/1953) e na ilha de S. Miguel, Açores, (15/10/1953 – 22/7/1956), onde é muito apreciado e bem-sucedido. Regressado dos Açores, Esperança passa a ser responsável pela Igreja da Figueira da Foz, de que toma posse em Setembro de 1956 e onde fica até Setembro de 1960. Eleito Moderador do Sínodo da IEPP em 1959, Augusto Esperança é colocado na Igreja Presbiteriana de Lisboa (Rua Tomás da Anunciação), onde fica até 1969 e onde desenvolve um trabalho pastoral e evangelístico notável.

Augusto Esperança foi presidente da Aliança Evangélica Portuguesa (1967-1969), tendo nessa qualidade promovido uma importante campanha de evangelização no Pavilhão dos Desportos (actual Pav. Carlos Lopes), em Lisboa. Foi ainda gerente da já extinta Clínica de S. Lucas, uma instituição de saúde de referência na cidade de Lisboa.

Em 1969 foi nomeado secretário da agência portuguesa da Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira que, sob a sua direcção, se transforma numa associação nacional, Sociedade Bíblica de Portugal (SBP). Na Sociedade Bíblica Augusto Esperança faz assinalável obra, pois, além de autonomizar o trabalho criando a SBP (18/1/1989), consegue adquirir uma sede adequada na Rua José Estêvão, 4-B, em Lisboa, e ainda formar uma comissão de tradutores, composta por biblistas católicos e protestantes, que prepara uma nova versão da Bíblia em português, a primeira tradução dinâmica em linguagem corrente e uma das primeiras traduções interconfessionais em todo o mundo, a qual, depois de editada, foi muito bem recebida. Esperança deixa a Sociedade Bíblica de Portugal em Setembro de 1997, data em que se aposentou.

Esperança foi ainda, durante quase trinta anos, representante dum trabalho de diaconia que a Entraide Protestante de l’Église Reformé Suisse manteve em Portugal através da IEPP, e que beneficiou milhares de crianças, chegando a haver cerca de 700 inscritas por ano. Foi ainda o Vice-Presidente da Comissão Executiva da IEPP entre 1996 e 2002.

Augusto Esperança faleceu em Lisboa a 05/8/2018. Foi casado com a Dra. Felícia Fiandor Esperança, de quem teve dois filhos, Jorge, já falecido, e Paulo.

 

David Palminha VALENTE
«Esperança, Augusto (n. 1928)», Pioneiro Protestante, 8 de Fevereiro de 2008.