Meu Amigo Câncer, João Sequeira Hipólito

 

«Foi após a insistência de centenas de amigos que me resolvi a escrever este livro para o qual, digo com toda a sinceridade, não me achava capacitado, pois poucos têm sido os meus trabalhos literários, além dos periódicos do movimento das Assembleias de Deus em Portugal.

Estou certo que os irmãos e leitores serão suficientemente indulgentes para perdoarem todas as deficiências, tendo em conta o meu objectivo que é: Evangelizar pela objectividade do assunto.

Aliviar milhares de cremes nos hospitais, e induzi-los a intercederem uns pelos outros for-mando cadeias de oração, eis uma necessidade premente. É que vivemos num tempo infernal, com grande sementeira de pestes, doenças, chagas e infecções de que nunca até hoje se ouvira falar.

 

 

Há quem pense serem todos os religiosos hipócritas, os quais vivem para explorar os incautos. Essa crítica é injusta, além do mais, ao pensarmos nos profetas, apóstolos e outros homens abnegados que deixaram a família e os bens materiais, andaram pelo mundo persegui¬dos e escorraçados, vestidos de peles de animais e alimentando-se apenas de frutos silvestres, tendo por habitação as cavernas e o deserto.

Muitos desses ermitões e peregrinos eram herdeiros de enormes fortunas, que alguns distribuíram pelos pobres e obras de caridade do seu tempo.

Não nos referindo propriamente a estes, lembramos os milhões que, nos últimos séculos da era missionária evangélica, deixaram todos os bens e comodidades e em obediência ao mandado de Jesus (ir por todo o mundo e pregar o Evangelho a toda a criatura), evangelizaram a Europa, a Ásia, a África, a Oceania, o continente americano, enfim, o mundo inteiro.

Milhares destas pessoas viram os navios em que viajavam afundarem-se com seus parcos haveres, perderam os familiares em naufrágios e nas mãos de canibais. Muitos deles embrenharam-se pelas florestas e montanhas, levando por toda a parte as Boas Novas de Deus que salvaram o mundo de já ter perecido pela barbárie, pela violência e pelo pecado, como acabará por perecer com certeza.»

 

João Sequeira HIPÓLITO
Meu amigo câncer. Lisboa : CAPU — Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1980