ERASMO SOBRE LUTERO

«Lutero surpreende-me! Se o espírito que está nele for maligno, não nasceu nenhum monstro mais fatal. Se for um espírito bom, falta-lhe ainda muito do fruto do evangelho. Se é uma mistura, como podem dois espíritos tão fortes existir na mesma pessoa? Intoleráveis corrupções entram furtivamente na vida cristã, cujos costumes fazem parecer como virtudes, e existem outras mudanças além destas, as quais os homens sábios alegremente veriam se as pudessem ver sem ter uma convulsão. Eu sei que esta é a opinião do Imperador. Mas nada satisfará Lutero. E o seu partido está tão dividido. E o seu evangelho gera tantos abusos que poderá desfazer-se em bocados, mesmo que o Papa e o Imperador se unam. A esperança é que os Príncipes tenham influência suficiente para manter os Luteranos nos eixos, ou que um fogo pior talvez rompa no outro lado através destes miseráveis monges e sacerdotes.»

Desidério ERASMO,
in Carta ao duque Jorge da Saxónia, 2 de Setembro de 1527.