«ROSTOS QUE VI, MÃOS QUE APERTEI»